quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

TEXTO PUBLICADO NA ATREVIDA: E se eu não morresse amanhã?

Sempre tive uma ânsia por aproveitar a vida ao máximo, viver cada dia como se fosse o último, ver o lado bom do lado ruim. Isso porque não quero ter arrependimentos quando for embora deste mundo. Porém, com esses pensamentos, comecei a atropelar tudo, a fazer algumas coisas antes do tempo, justificando com a frase "E se eu morrer amanhã?". Mas então, pensei o contrário. E se eu não morrer amanhã?

Uma das coisas que agora eu tenho em mente é que tudo tem seu tempo. Não estou dizendo que devemos ficar vendo a vida passar porque "o que tiver de acontecer vai acontecer". Não! Mas não é pra gente ficar desesperada com um futuro distante; não é pra atropelar um relacionamento, nem querer fazer tudo ao mesmo tempo. Vamos aprender com a mãe natureza e pensar que, quando fazemos coisas fora do seu tempo, é como se estivéssemos comendo uma fruta verde. E, mesmo que fosse o último dia da sua vida, você gostaria de comer uma manga (ou uma goiaba, uma banana ou qualquer fruta) que não estivesse madura? Provavelmente não, mesmo sendo sua fruta preferida. Porque ainda que comesse, o gosto não seria tão bom. Por isso a importância de esperar (mas também não podemos muito, afinal, comer uma fruta podre não é agradável).

Se você fizer uma besteira, pensando: "Ah, mas eu nunca fiz isso! E se eu morrer amanhã?", reflita no oposto: "E seu eu não morrer amanhã?". Aí você vai ter de arcar com as consequências! Existem coisas para para as quais é valida a frase "E se eu morrer amanhã?". Comer algo novo, passar por um caminho diferente, conhecer uma pessoa... Mas em outros casos, o melhor é esperar a fruta ficar madura - se não, você pode ter uma dor de barriga horrível! :D

Obs: o título do post é baseado no poema "Se eu morresse amanhã", de Álvares de Azevedo.

Se você quiser ler o post original, clique aqui.

6 comentários:

  1. Nossa, gostei muito desse tema.
    Eu ja tinha até pensado sobre isso uma vez, mas nao tinha conseguido traduzir em palavras. E voce fez isso muito bem! Mereceu totalmente a publicaçao (que vai ser comemorada, é claro!).

    Beeeeijo, Ju ♥

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ju! comprei a revista Atrevida com a capa da (diva) Hayley e li seu texto. Eu adorei mesmo, muito bom, esse é um dos assuntos que ja passaram por minha cabeça em madrugadas inspiradoras :)
    Parabéns, ficou óóótimo *-*
    Beijocaas <3

    ResponderExcluir
  3. Obrigada mesmo, Cosabella!! Vai ser comemorada sim, provavelmente no meu aniversário hahahaha

    Muito obrigada também, ser anônimo! Fiquei curiosa: quem é você? hsuahsuahsuahs

    Beijosss

    ResponderExcluir
  4. Vi o texto na Atrevida meio obivio né rsrs' achei super interessante o tema minha mãe inclusive vive falando quando eu quero uma resposta rápida ela diz não sei será que vou estar viva agr terei uma resposta pra ela só terei que resumir né pq não vai dar pra ler o texto todo SAKSOAKSOA muito criativo o exemplo da fruta realmente não sei dá onde vc tirou inspiração para isso, fiquei impressionada. E pode deixar vc sempre vai ver meus cometários aquii'-' vou encher seu saco kkkk brinqs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CONSERTE O TEXTO VC BOTOU 2 PARA

      Excluir
  5. Ah, não é "encheção de saco" não!! Eu adoooro os comentários, sérinho!!

    Obrigada por visitar o blog e sinta-se à vontade pra voltar sempre que quiser!!

    Beijão!

    ResponderExcluir