sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Viva a diferença

Ok ok. Vou tocar num assunto delicadíssimo agora, e espero que quem tenha uma opinião contrária à minha me respeite. Podem argumentar comigo, só espero que a discussão seja feita de forma amigável e respeitosa. Pois bem. Ainda falando no assunto da diversidade, queria comentar a declaração do vice do Serra, que disse ser contra o projeto de lei que transforma homofobia em crime.

Amados leitores: não sei se entre os meus leitores existe algum homossexual, bissexual, transexual, travesti ou apenas simpatizante, não sei se existe algum católico, protestante, judeu, muçulmano, umbandista ou algo do gênero. Mas, se tiver, eu respeito cada um. Eu entendo que a ideia de um casal homossexual talvez, hm, "ataque" os dogmas cristãos. Você pode não concordar, mas tem que respeitar. Assim como quem não é cristão respeita (a maioria pelo menos respeita, eu acho) essa religião. O homossexualismo talvez não seja agradável aos olhos cristãos, mas creio que os cultos de determinadas denominações evangélicas também não sejam agradáveis aos ouvidos alheios. É questão de ponto de vista; tudo é relativo, tudo é subjetivo.  

Não acho que as pessoas escolhem: "Ah, eu acho que vou virar gay." Creio que elas nascem assim. Beleza, como disse o Marcelo Adnet no clipe de "O lado bom de ser gay", "Everybody today is becoming a gay". Mas não falo das pessoas que não são héteros por modinhas (sim, existe a modinha bissexual hoje em dia; se não me engano, fruto das bandinhas coloridas...). Falo das pessoas que já têm uma clara inclinação ao homossexualismo desde pequenas. Por favor, não gostaria de ler nos comentários coisas do tipo: "Homossexualismo é uma doença" ou "Deus fez macho e fêmea", como os cartazes que estão espalhados pela cidade, feitos pelo pastor Silas Malafaia. Sei lá, acho que Jesus tem coisas mais importantes para se preocupar. Contanto que amemos uns aos outros, que diferença faz o sexo da pessoa? Queridos, a paz mundial nunca será alcançada enquanto a humanidade tiver preconceito contra o diferente. As guerras começam por pequenas rusgas que são geradas a partir de diferenças (tá, tem o lado econômico por trás, mas não quero me ater a isso). Para quem diz que o homossexualismo não é natural, sorry, mas é sim: no zoológico de Zurich, aprende-se que nenhuma espécie animal tem uma vida exclusivamente heterossexual e que o ser humano é a única espécie que não integre a homosexualidade na sua sociedade. Ali, um casal de flamingos machos passaram a vida juntos. Em Köln (Alemanha), um casal de pinguins fêmeas rouba um ovo aos vizinhos deles a cada ano e trata do ovo como se fosse o delas. Para quem quiser ler mais sobre o homossexualismo na natureza:  http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT656858-1664-1,00.html

Enfim. Tudo isso para dizer que é um absurdo defender a homofobia (porque condenar a lei que criminaliza a homofobia é defendê-la!). Espero que um dia vejamos isso com a indignação que vemos o preconceito contra os negros nos EUA na década de 60 e contra as mulheres até a década de 50.


6 comentários:

  1. Arauto do Evangelho9 de outubro de 2010 11:01

    Absurdo é esse seu artigo nanico querer legislar por cima de questões estratosféricamente maiores.

    Não se pode criminalizar a opinião. Para mim é e será pecado, além de anti-natural. Como dizia meu avô, "não dá encaixe." TENHO O DIREITO DE NÃO GOSTAR, DE SER CONTRA... Daqui há pouco, vão me proibir de chamar ladrão de ladrão, safado de safado... enfim, é esse diabólico "politicamente correto" mandando e desmandando.

    E para quem "defende" esse tipo de coisas, você deveria saber que eles abominam o termo "homossexualismo", que cheira a patologia, e preferem adocicar, com "homossexualidade."

    É muita pretensão sua afirmar o que afirma. Há questões que lhe deixariam de cabelo em pé e a faria mudar de opinião, passando pelo plano material (biológico) e avançando em riste ao mundo do pensamento (filosófico).

    Acho que sou eu quem é minoria: cristão, branco e heterossexual.

    Recomendo: http://www.ricardogondim.com.br/Artigos/artigos.info.asp?tp=61&sg=0&id=361

    ResponderExcluir
  2. Bom, para aqueles que se já esqueceram (ou nunca souberam) o Índio da Costa foi indiciado como o chefe da "Máfia das Ambulâncias" ocorrida aqui no Rio de Janeiro. Provavelmente emboçou alguns milhões com esse esquema.

    Esse homem de lisura questionável sempre se posicionou politicamente junto ao que há de mais reaciónário no Brasil e sempre se postou contra as minorias sociais, raciais, sexuais...

    ResponderExcluir
  3. Achei seu post digno, a raça humana me deprime e creio que um nazista comentou no seu blog. Você já viu Bastardos Inglórios? Me deu muitas idéias :D

    ResponderExcluir
  4. Não estou querendo legislar acima de nada. Como você mesmo disse, tenho o direito de ser contra (a diferença é que sou contra a proposta do vice do Serra) e, como esse é meu blog, tenho o direito de expressar a minha opinião aqui Concordo que não se pode criminalizar a opinião. Você tem o direito de não concordar com o homossexualismo, mas acho que deve haver respeito. Você não precisa ser gay, você não precisa ser amigo de gays, você não precisa ter relação nenhuma com o universo gay; mas cada um é cada um e você precisa respeitar as escolhas individuais. A criminalização da homofobia só vai evitar que gays sejam mortos e agredidos física e verbalmente - e não creio que você defenda a violência. Ser contra a homofobia não é ser a favor dos gays, é ser, acima de tudo, contra a violência. Eu não gosto de, sei lá, bandas coloridas, mas não saio agredindo quem gosta.

    Não tenho pretensão de ser dona da verdade; como disse Felipe Neto, eu não sou dona da verdade, sou dona do meu requeijão.

    Ah, Bruno! Obrigada pelo lembrete!!

    Paaai! Preciso muito ver "Bastardos Inglórios"... E a raça humana também me deprime rsrsrs

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Permita-me dizer-lhe que também não lhe sou nenhum pouco favorável quanto à essa questão. Democraticamente, discordo.

    Criminalizar a homofobia? Ora, agressões físicas e verbais já são contempladas pelo atual Código Civil e legislação vigentes. Então, dizer que evitaria "isso" ou "aquilo" não passa de engodo, de sofisma ideológico. As "entidades gays" almejam ser casta especial, incriticável e pairando acima de nós, futuros "cidadãos de segunda classe"...

    No entanto, respeito é absolutamente necessário.

    Mas, como li o artigo acima indicado do Rev. Gondim (com o qual concordei em gênero, número e grau), os tolerantes são intolerantes, aceitam a diversidade desde que sob a supervisão ideológica do politicamente correto. Enfim, é um "santo" paradoxo. Chamar alguém de nazista por ter uma opinião discordante é, no mínimo, contraditório. Aliás, é uma opinião (a do suposto "nazista") que comungo. Se entendi bem, ele quer o direito de ser contra ou a favor, enfim, não quer ser obrigado a isso ou aquilo, a uma uniformidade do pensamento. Autoritarismo e nazismo é isso: impedir ou taxar alguém de nazista apenas por ter opinião contrária.

    ResponderExcluir
  6. Eu ia fazer um comentário bem legal pra mostrar o quanto esse primeiro ser que comentou foi patético... mas ficou uma coisa enorme demais pra um comentário, então eu fiz um post inteiro.

    Aí, colega, se quiser criticar mais um pouquinho, eu tenho um blog também tá! ;D

    ResponderExcluir